Conectividade rural avança na Câmara



Relator do PL 4061/2019, que pode beneficiar 5 milhões de agricultores, deputado Zé Silva (SD-MG) pretende aprovar a proposta ainda este ano



Muito além dos gargalos logísticos ou da oscilação de preços de commodites agrícolas ou da guerra comercial entre Estados Unidos e China, um dos principais obstáculos enfrentados pelo agronegócio brasileiro atualmente é a dificuldade de se comunicar no campo. Essa limitação foi destacada por membros da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), na última terça-feira (19), durante a reunião do colegiado.

Dados do Censo Agropecuário do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) de 2017 apontam que 41% das propriedades rurais no Brasil têm acesso à internet. Do total de produtores, 63% afirmaram se conectar via celular, e 21% declararam não acessar a rede por causa da indisponibilidade. Para mudar essa realidade e conectar os produtores rurais, com o objetivo de tornar o agronegócio ainda mais moderno e competitivo, tramita na Câmara dos Deputados o PL 4061/2019, do deputado José Medeiros (PODE-MT).

A proposta permiti que os recursos do Fundo de Universalização dos Serviços de Telecomunicações (FUST), cerca de R$ 20 bilhões, atualmente vinculado apenas ao serviço de telefonia fixa, cada vez menos utilizado e obsoleto no Brasil, sejam utilizados para financiar, de forma geral, políticas governamentais de telecomunicações, ampliando o acesso à Internet entre as famílias de baixa renda e no campo.

O relator do projeto, deputado Zé Silva (SD-MG), coordenador de Comunicação da FPA, pretende aprovar a proposta na Câmara dos Deputados ainda este ano. “Apresentamos um requerimento de urgência ao presidente da Casa, Rodrigo Maia. Estamos confiantes no compromisso que ele fez com o setor para que em 2020 a modernidade da internet das coisas, cobertura 5g, lançada pelo governo federal, chegue a todos os agricultores.” Após a sanção, o PL da Conectividade Rural pode beneficiar 5 milhões de agricultores no país.

Deputado Alceu Moreira (MDB-RS)

O relatório anual da Organização Mundial do Comércio (OMC) aponta o Brasil entre os maiores exportadores do mundo. De acordo com os números oficiais do Ministério da Economia, em todo ano passado, as exportações brasileiras somaram US$ 239,523 bilhões, ante US$ 217,739 bilhões em 2017. “O agro vai muito bem: está exportando, aumentamos as exportações de carne para a china, a Ministra Tereza Cristina está abrindo o mercado de uma forma espetacular, mas falta um olhar para a conectividade no campo. Hoje a gente vê um agro estruturado, que gera emprego, renda, mas o produtor está em dificuldade. Nós queremos um agro forte e o produtor conectado,” explicou o presidente da FPA, deputado Alceu Moreira (MDB-RS).

Conectividade Rural – A produtividade no campo pode aumentar consideravelmente com o uso de novas tecnologias. Um exemplo é o uso de tratores e outros maquinários ligados à internet, com GPS, e mecanismos para economia de combustível e manutenção mais eficaz que fazem toda a diferença na eficiência da lavoura. A internet também pode estimular a abertura e funcionamento de novas empresas, como startups do agro, e conectar pesquisadores e estudantes de agronomia, zootecnia veterinária com universidades no mundo para desenvolver novos projetos em assistência técnica e extensão rural.

Para o presidente da FPA, deputado Alceu Moreira, com a disponibilidade de conectividade e tecnologia haverá aumento da produção. “Se a gente tiver conectividade no campo, o valor agregado no agronegócio pode chegar a US$ 21 bilhões”, disse. Atualmente um total de 50 milhões de hectares na área rural do Brasil ainda não tem acesso à internet, informou o diretor de Novos Negócios da Nokia, Leonardo Finizola, no Summit Agronegócio Brasil 2019.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *