Temer virá à reunião-almoço da FPA na próxima terça-feira



Michel Temer, presidente interino - EVARISTO SA / AFP

O presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado Marcos Montes (PSD-MG), anunciou hoje (5) que o presidente Michel Temer vai comparecer à próxima reunião-almoço da entidade, na terça-feira (12/07). Montes disse que os integrantes da FPA vão aproveitar para mostrar a Temer o empenho e o entusiasmo com o novo governo. “Esta é a primeira vez que um presidente da república se dispõe a nos visitar e debater os temas do setor mais exitoso da economia brasileira”.

O deputado Marcos Montes entende que entre os pontos prioritários a serem abordados na visita de Temer estão a questão da regularização fundiária e a segurança jurídica. “Ele já está no governo há 50 dias. O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, tem pautado ele com diversos assuntos do setor. Então ele virá aqui para sentir o entusiasmo dos parlamentares, uma bancada que tem presença importante na Câmara e que teve papel fundamental no processo de impedimento da presidente Dilma”.

Uso da terra – Na reunião, Marcos Montes aproveitou para ressaltar os dados apresentados pelo ministro Maggi na abertura do Global Agribusiness Forum 2016, realizado na segunda-feira, em São Paulo, que mostram a utilização das terras no Brasil. Segundo Marcos Montes, ao contrário do que alardeiam os adversários do agronegócio brasileiro, “apenas 8% do território brasileiro são ocupados por lavouras e florestas plantadas. E 61% ainda são formados por florestas nativas que conservamos desde o descobrimento do Brasil. ”

A reunião desta terça-feira da FPA contou com presenças importantes. O secretário de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Neri Geller, tratou das medidas do Conselho Monetário Nacional (CMN) relativas ao Plano Safra 2016/17 e sobre a renegociação das dívidas dos produtores.

O novo presidente do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), Leonardo Góes Silva, disse que seu trabalho à frente do órgão será no sentido de redesenhar a estrutura do instituto e na implementação de novas diretrizes. “Nossa ideia é a segurança jurídica e a pacificação do campo”, adiantou Silva.

Também presente, o secretário especial de Agricultura Familiar e Desenvolvimento Agrário, José Ricardo Ramos Roseno, disse que tem o desafio de prosseguir com políticas como o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), implantado há 21 anos e que viabiliza o pequeno produtor rural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *