Nova diretoria da Embrapa é apresentada na FPA



O presidente da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), Maurício Lopes, participou, nesta terça-feira (22), da reunião-almoço da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) para apresentar os novos diretores da instituição: o diretor executivo de Pesquisa e Desenvolvimento, Celso Moretti; a diretora executiva de Administração e Finanças, Lúcia Gatto; e o diretor executivo de Transferência Tecnológica, Cléber Soares.

“Os três são profissionais com trajetórias brilhantes na empresa, com treinamento de primeira linha. Nós estamos vivendo um momento muito importante na Embrapa, o momento da sucessão gerencial. Pela primeira vez nós aplicamos a chamada Nova Lei das Estatais, aprovada em julho e regulamentada no final do ano passado, que orientou o processo de sucessão da nossa diretoria executiva”, destacou Lopes. Ele ressaltou ainda o papel do ministro Blairo Maggi, que seguiu à risca o que manda a Lei das Estatais em um certame extremamente concorrido, onde participaram 142 candidatos de alto padrão.

Lopes afirmou que a Embrapa tem uma agenda arrojada e voltada para o futuro. “Os senhores e senhoras estão acompanhando uma revolução na agropecuária brasileira. Temos a emergência dos sistemas integrados. Nós vamos cada vez mais buscar uma agricultura sistêmica, integrando lavoura, pecuária e floresta dando suporte ao nosso programa de agricultura de baixo carbono, ajudando o Brasil a implementar o Código Florestal. Nós vamos fazer uma agricultura que intensifica o uso das nossas áreas permitindo reduzir a emissão de gases”, explicou o presidente da Embrapa.

A vice-presidente da FPA, deputada Tereza Cristina (PSB-MS), que presidiu a reunião, agradeceu a presença da diretoria da Embrapa, empresa que, segundo ela, é motivo de orgulho para os brasileiros em todo o mundo.

Funrural – Outro tema de debate na reunião da FPA foi a Medida Provisória 783/17, que trata do Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural). Os parlamentares se mostraram preocupados com diversos aspectos que devem ser corrigidos no Congresso por meio de emendas. Um deles é o prazo de adesão ao programa, fixado em 29 de setembro. “Um prazo extremamente curto para quem ainda nem sabe o quanto deve”, afirmou Tereza Cristina. A parlamentar deve ser a relatora da comissão que vai analisar a matéria. A instalação da comissão está prevista para esta quarta-feira, às 15h30.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *