Presidente da FPA diz que cidade começa a conhecer o campo



Os moradores das cidades começam, finalmente, a conhecer a agropecuária e a sua importância para a economia, e consequentemente para o desenvolvimento humano e social do país. A declaração foi feita pelo presidente da Frente Parlamentar Mista da Agropecuária (FPA), deputado federal Marcos Montes (PSD/MG), no primeiro dia (08/08) do 15º Congresso Brasileiro do Agronegócio, promovido pela Associação Brasileira de Agronegócio (Abag), em São Paulo.

Tanto no discurso de abertura do evento quanto em sua participação como debatedor no painel sobre Protagonismo do Agronegócio, o líder do maior e mais atuante colegiado do Congresso Nacional, citou iniciativa da Rede Globo como uma demonstração de avanço na relação entre a cidade e o campo. Marcos Montes se referiu à campanha que a emissora está fazendo para divulgar a agropecuária – e que teve o lançamento no Jornal Nacional exibido dia 11 de junho deste ano.

Segundo ele, ao assumir a presidência da FPA, uma de suas principais metas era de trabalhar para que os moradores das cidades, os consumidores,  tivessem acesso a informações reais sobre a importância do campo para a vida de todos.  “Ainda não atingimos o ideal, mas, com certeza, avançamos muito” – disse.

FORA DE MODA – De acordo com Marcos Montes, no próprio Congresso Nacional, ainda é possível ouvir parlamentares criticando a agropecuária, – as mulheres e homens do campo que tanto produzem para o Brasil. “Embalados por uma ideologia ultrapassada, fora de moda, antagônica aos interesses da Nação, estas pessoas ignoram o que o campo faz pelo Brasil, inclusive com ofertas de milhares de empregos”, disse o presidente da FPA.

O protagonismo da agropecuária, segundo Marcos Montes, vai além de “segurar as pontas da balança comercial e da economia”. Lembrou que as lideranças do setor abraçaram a bandeira da recuperação da economia e da ética, apoiando o pedido de impeachment da presidente afastada, Dilma Rousseff (PT).

“Se o Brasil dá indicações de que pode sair das crises econômica e ética, muito se deve à atuação firme da FPA” – destacou. O colegiado possui mais de 200 deputados federais, que votaram em peso para que o processo chegasse ao Senado Federal, onde também, seus integrantes defendem o afastamento definitivo.

“A gente sente no presidente em exercício Michel Temer que ele vê o agronegócio como saída para o Brasil” – defendeu Marcos Montes, lembrando que Temer foi o primeiro presidente da República a visitar a sede da FPA, em Brasília. “Postura completamente diferente do que víamos até pouco tempo atrás” – reforçou.

AGRICULTURA FAMILIAR – Marcos Montes também defendeu a agricultura familiar, lembrando que, ao contrário do que alguns setores tentam fazer parecer, este é um segmento do agronegócio. “São milhares de agricultores familiares que também estão ali, produzindo diariamente e com a adoção de muita tecnologia”, afirmou ele.

A edição de 2016 do Congresso Brasileiro do Agronegócio, que termina dia 09/08, é palco de vários fóruns sobre os aspectos atuais e relevantes para o agronegócio, debatidos por profissionais e especialistas nacionais e internacionais com profundo conhecimento do assunto.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *