“Devo a minha posição de presidente à agricultura brasileira”, diz Michel Temer



O presidente interino Michel Temer abriu a 3ª edição do Global Agribuiness Forum (GAF) na manhã desta segunda (4/7), em São Paulo.  Na abertura, Temer disse que deve sua posição atual à agricultura brasileira: “Essa solenidade me toca sentimentalmente. Meus pais quando vieram ao Brasil adquiriram uma pequena propriedade rural em Tiete e ao longo do tempo, menino ainda, eu fui tomando contato com as plantações que meu pai fazia na chácara”, lembra.  O presidente interino disse estar feliz com o apoio do setor e  destacou que seu governo vai colocar a agricultura brasileira nos trilhos.

O ministro da Agricultura, Blairo Maggi, e o deputado Marcos Montes (PSD-MG), presidente da Frente  Parlamentar da Agropecuária (FPA), além de outras autoridades, prestigiaram o evento que anualmente as entidades, como a Sociedade Rural Brasileira, Associação Brasileira dos Produtores de Milho (Abramilho), a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) e a Datagro, promovem em São Paulo. O tema do encontro este ano foi “A agropecuária do amanhã: fazer mais, com menos (disseminando as bases do desenvolvimento sustentável).

Manifesto – Durante a cerimônia, entidades do setor entregaram ao presidente interino um Manifesto de Confiança ao Agronegócio Brasileiro. O documento ressalta a “legitimidade da equipe econômica competente do atual governo e acredita na capacidade de organizar e retomar investimentos para colocar o Brasil novamente no trajeto do crescimento. Confiamos que a liderança do presidente será capaz de pacificar e unificar todos os brasileiros para que seja possível construirmos um novo amanhã para o nosso país”, destaca o documento, assinado por mais de 40 entidades do segmento e que foi lido pelo presidente da Associação dos Criadores de  Zebu (ABCZ), Luiz Claudio Paranhos, entidade parceira da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA).

O manifesto afirma que o ministério montado por Temer é reconhecido pela “capacidade técnica e larga experiência para as pastas da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e Relações Exteriores”. Tal gabinete ministerial “reforça a percepção do setor produtivo de que a nova administração trabalha com seriedade e determinação” para que o país tome as medidas necessárias à recuperação econômica, diz o texto.

Ainda conforme o manifesto, “é importante darmos espaço a uma visão eficiente de gestão pública, ancorada no contínuo avanço tecnológico, na força e no empreendedorismo do empresário moderno, principalmente do empresário rural brasileiro”. Por fim, o documento avalia que Temer será capaz de, “com pragmatismo diplomático e inteligência comercial”, conquistar “novos mercados para os produtos brasileiros no comércio internacional”.

Assinam o manifesto associações como a Brasileira do Agronegócio (Abag), ABCZ, das Indústrias Exportadoras de Carne (Abiec), das Indústrias de Óleos Vegetais (Abiove), da Indústria de Cana-de-açúcar (Unica), além da Confederação Nacional da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA).

A seguir, a íntegra do manifesto:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *