A Vila foi campeã homenageando o homem do campo



PRONUNCIAMENTO

Brasília, 21 de fevereiro de 2013.

Sr. Presidente, colegas deputadas e deputados,

Ocupo hoje esta tribuna para falar da festa mais popular do Brasil; aliás, do Planeta, sem sombra de dúvida. Quero falar, sim, do contagiante samba-enredo da Escola Unidos de Vila Isabel, que comoveu o Sambódromo no Rio de Janeiro e de todos aqueles que acompanharam o desfile por meio dos veículos de comunicação às 5h40 de terça-feira de Carnaval.

Quando a escola da terra de Noel Rosa pisou na avenida Sapucaí cantando o Brasil rural não dava para descrever a empolgação do povo. Mérito, em grande parte, (grande mesmo) da composição dos bambas Martinho da Vila, Arlindo Cruz, André Diniz, Leonel e Tunico da Vila para o enredo “A Vila canta o Brasil, celeiro do mundo – água no feijão que chegou mais um”.

Bela, melodiosa, contagiante composição cantada como hino pelos componentes. Foi defendida com força e entusiasmo por todos os integrantes da azul e branco. Embalou o público nas arquibancadas. O resultado não poderia ser outro:

A ESCOLA DE SAMBA VILA ISABEL FOI A VENCEDORA DO CARNAVAL CARIOCA DE 2013.

Para nós, da Frente Parlamentar da Agropecuária, a FPA, um resultado por demais merecido. A Vila foi campeã homenageando o homem do campo, abordando o cotidiano deste trabalhador que dia ou noite, chova ou faça sol, feriado ou não, prepara a terra, planta e colhe para colocar na mesa do brasileiro e também de outros povos alimentos saudáveis e baratos.

Permitam-me aqui chamar a atenção dos nobres parlamentares para ressaltar que A Vila Isabel homenageou o setor mais dinâmico, mais próspero da nossa economia – a agropecuária, que mais uma vez será a principal e mais segura fonte de receita e de superávit no comércio externo. Um setor que cada ano que passa bate novos recordes de produção, produtividade e exportações.

A vitória da Vila Isabel repercutiu bem no Palácio do Planalto. Tanto que a presidenta Dilma escolheu o setor agropecuário como tema de seu programa semanal de rádio “Café com a presidenta”.Na oportunidade, ela fez questão de dizer que produção de grãos, de 185 milhões de toneladas, este ano será a maior da história.

Para a presidenta, “isso sem contar os outros alimentos que chegam à mesa produzidos pela nossa agricultura, que são as verduras, as frutas, as carnes, o leite, o café e o açúcar”, enfatizou.
Segundo Dilma, cada ano, os nossos agricultores têm procurado mais e mais crédito para modernizar a produção e para melhorar as condições do trabalho no campo. A presidenta realçou o papel dos pequenos produtores nesse contexto, revelando que sete em cada dez municípios compram uma parte da merenda escolar diretamente da agricultura familiar.

Como se vê, a presidenta Dilma reconhece a importância da nossa agropecuária para a economia brasileira. E como estamos no início da elaboração do novo Plano Agrícola e Pecuário para a safra 2013/2014 – tanto da agricultura dita comercial quanto a agricultura familiar – tenho certeza que a nossa presidenta Dilma seguirá valorizando esse setor que é, sem sombra de dúvidas, o setor mais próspero deste país, que é, sem sombra de dúvida, o setor produtivo rural.

Meu sentimento é de que a nossa agropecuária tem levado ao Palácio do Planalto uma safra de boas notícias. Além de uma colheita recorde de grãos, de 185 milhões de toneladas, estima-se este ano um crescimento de 16,3% no Valor Bruto da Produção (VBP) das principais lavouras do País, com previsão de chegar em R$ 283,5 bilhões.

Além disso, no acumulado do ano, as exportações do agronegócio atingiram US$ 96,7 bilhões. As exportações alcançaram a cifra recorde para o mês de janeiro, atingindo os US$ 6,58 bilhões, o que representa um crescimento de 14,7% em relação ao mesmo mês do ano passado.

Ainda sobre o sucesso da agropecuária brasileira vejam o que escreveu recentemente o renomado jornalista Celso Ming: “enquanto a indústria amargou, em 2012, queda de 2,7% em sua produção e, há anos, sofre forte esvaziamento (desindustrialização), o agronegócio, com algumas avarias em alguns dos seus subsetores, exibe pujança”.

Sr Presidente, colegas deputadas e deputados,

O Governo tem consciência de que nem tudo são flores para o setor da agropecuária. Temos gargalos, sim. O Governo Federal sabe que um dos problemas do setor produtivo rural é a infraestrutura, como o transporte, a armazenagem, os portos, a carga tributária etc. São dificuldades que a presidente Dilma não vai esperar o próximo carnaval passar para enfrentá-las. Aliás, esses desafios ela já está enfrentando.

O primeiro passo foi dado agora com as licitações para os portos e ferrovias. E até junho, será lançado os novos Planos Agrícolas para a safra 2013/2014 (tanto da agricultura dita comercial como da agricultura familiar), com mais recursos e maior acesso ao crédito. Neles constarão medidas que, com certeza, vão continuar impulsionando o setor mais próspero da economia brasileira.

E que por muitos e muitos anos vai servir de inspiração aos bambas do Brasil. Isso porquê, está provado, além dos empregos, dos recordes, do superávit, a nossa agropecuária também dá samba. E samba de qualidade como mostrou a Vila Isabel neste carnaval.

Era o que tinha a dizer. Muito obrigado.

 

GERALDO SIMÕES

Deputado Federal PT/BA

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *