“Medo dos transgênicos tem os dias contados”, diz acadêmico espanhol



Em entrevista ao portal ambientalista espanhol Ecoavant, o Doutor em Bioquímica e Biologia Molecular pela Universidade de Valência José Miguel Mulet criticou o que chama de “ecologismo de salão” pela forma acrítica na qual têm atuado alguns ambientalistas e afirmou que os produtos transgênicos passam por muito mais controles do que outros produtos.”Existem casos de cultivos não transgênicos que têm causado problemas de toxicidade e tiveram que retirá-los (do mercado). Se fala mal de todos eles (transgênicos) em geral, mas cada caso é particular. Os organismos modificados passam por controles para que não possam hibridizar com espécies selvagens. Mas, ao final, todas as coisas que nos dão para comer são artificiais e não poucos podem hibridizar, como já aconteceu com algumas variedades de milho não transgênico”, resumiu o especialista.

Mulet destacou também na entrevista que só por um alimento ter o selo de ecológico não quer dizer que ele seja melhor para o meio ambiente. “Na Alemanha se consomem abacaxis ecológicos produzidos na Costa Rica. Ou verduras cultivadas em estufas de plástico em Almería (Andaluzia, Espanha). O impacto na forma de emissões de CO2 em seu transporte é muito pior do que o que teria ao produzí-la de forma não ecológica, mas em um local mais próximo. Alguns produtos usados pela agricultura ecológica com o alúmen e o sulfato de cobre empregado como fungicida são altamente contaminantes”, explicou.

Ele prevê que os benefícios da tecnologia no futuro devem começar a ser sentido pelos consumidores, não só pelos produtores, e também o fim do medo dos transgênicos. “Haverá uma oferta cada vez maior de espécies, mas não de variedades. Haverá mais frutas e verduras exóticas nos nossos comércios, mas uma só variedade de tomate, a que demande o mercado. O medo dos transgênicos tem os dias contados. […] Agora chegam os benefícios ao consumidor. Quando este se der conta da quantidade de cores, cheiros e sabores que podem oferecer, ele vai comprar sem medo. Ademais, permite produzir trigo para celíaca, tomates com antioxidantes que previnem câncer, carne com menos colesterol”, disse Mulet.

 

Agrolink
Autor: Leonardo Gottems

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *