Doria: agronegócio é o propulsor da economia brasileira



“Foi o setor agropecuário que sustentou o Brasil nos piores quatro anos da nossa economia”, defendeu o prefeito de São Paulo, João Doria, em reunião com a Frente Parlamentar da Agropecuária nesta terça-feira (17). Na ocasião, Doria afirmou que sem o crescimento do agronegócio, não há como o País crescer também.

“O maior desafio do Brasil hoje é a geração de emprego e renda e, como principal promotor disso, o setor agropecuário é determinante”, destacou o prefeito. Segundo Doria, cerca de 18% da produção agrícola brasileira de origem animal é consumida por São Paulo, que tem como uma das pautas prioritárias de gestão o produtor rural.

Em seu discurso de boas-vindas ao prefeito, o presidente da FPA, deputado federal Nilson Leitão (PSDB/MT), destacou as principais demandas e preocupações do agronegócio brasileiro. “Precisamos encerrar o ano com o setor mais eficiente, sustentável e desburocratizado. A nossa pauta é de toda a sociedade, sob o horizonte da construção de um novo momento do País”, ressaltou o presidente.

Nilson Leitão também acrescentou que o agronegócio já contribui com 23% do Produto Interno Bruto (PIB) e é o maior preservador do meio ambiente. “O Brasil é o segundo país com o maior número de árvores em pé do mundo. O resultado disso se deve ao nosso produtor rural, que preserva 80% de sua propriedade na Amazônia Legal”, disse.

Além da presença parlamentar, o prefeito também esteve com o Conselho do Instituto Pensar Agro (IPA), que reúne 43 entidades. Para o presidente do IPA, Fábio Meirelles Filho, o produtor rural continua a sustentar o Brasil, mesmo em meio a dificuldades internas de produção do setor. “É o agronegócio que leva alimento de qualidade e com segurança para a mesa dos brasileiros”, afirmou Meirelles.

Futuro – Em relação aos projetos prioritários do setor, o prefeito João Doria destacou a modernização da produção agrícola, com a inclusão das comunidades indígenas, e o novo licenciamento ambiental. “Apoio integralmente. A proposta de áreas cultiváveis em áreas indígenas é uma medida pacificadora e conciliatória que visa, sobretudo, o respeito aos índios como cidadãos brasileiros”, disse Doria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *