Membros da FPA recebidos mais uma vez pelo presidente Temer



Brasília - DF, 24/08/2016. Presidente em Exercício Michel Temer durante reunião da Frente Parlamentar da Agropecuária. Foto: Marcos Corrêa/PR

Deputados e senadores da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) foram recebidos mais uma vez pelo presidente interino da República, Michel Temer, em audiência nesta quarta-feira (24), no Palácio do Planalto, quando foram debatidas questões e reivindicações em prol do setor produtivo rural.

Segundo o presidente da FPA, deputado Marcos Montes (PSD-MG), um dos principais temas foi a necessidade de desburocratizar o licenciamento ambiental que, ao contrário de proteger o meio ambiente, estimula a burocracia, trava o desenvolvimento e vem engessando o setor produtivo rural.

Ao comentar o encontro com o presidente Temer, o deputado Valdir Colatto (PMDB-SC) destacou que antes era o MST recebido no Palácio do Planalto, agora são os verdadeiros representantes dos produtores rurais, daqueles que realmente produzem. “O presidente reconhece e reafirma apoio a agricultura e determinou a desburocratização do seu governo, a exemplo do que já está acontecendo no Ministério da Agricultura.”

“Junto com os demais integrantes da FPA participei desta importante audiência com o presidente interino, Michel Temer; entre outros assuntos, discutimos o Programa Agro Mais para desburocratizar o Ministério da Agricultura, desburocratizar o setor”, explicou a deputada Tereza Cristina (PSB-MS). Segundo ela, a bancada sugeriu ao presidente que ao invés de recriar o Ministério do Desenvolvimento Agrário, como teria sido cogitado, que fortaleça o Ministério da Agricultura e seus programas.

O deputado Domingos Sávio (PSDB-MG) apresentou a situação vivida por moradores e produtores rurais das cidades localizadas no entorno do Parque Nacional da Serra da Canastra e do Lago de Furnas, ambos em Minas Gerais. Ele explicou que há mais de uma década o Governo editou um decreto com o propósito de ampliar em mais de 100 mil hectares o Parque Nacional da Serra da Canastra, que já é um dos maiores de Minas e do Brasil.

Revelou ainda que não houve desapropriação, nem indenização e que o Governo nunca disponibilizou dinheiro ou sequer dotação orçamentária para esta finalidade.  Com o decreto, a vida destes cidadãos humildes foi restringida porque são impedidos de construir em suas propriedades, não conseguem financiamento, pois a área passou a ser considerada de interesse ambiental, mesmo sendo pastagens artificiais de brachiaria, pequenas plantações de café ou cana para agricultura de subsistência.

Estiveram presentes à audiência com o presidente Michel Temer, Marcos Montes (PSD-MG), presidente da FPA, Nilson Leitão (PSDB-MT), vice-presidente da FPA, Adilton Sachetti (PSB-MT), Valdir Colatto (PMDB-SC), Domingos Sávio (PSDB-MG), Tereza Cristina (PSB-MS), Celso Maldaner (PMDB-SC), Alfredo Kaifer (PSL-PR), Sergio Souza (PMDB-PR), Ezequiel Fonseca (PP-MT), e os senadores Waldemir Moka (PMDB-MS), Ana Amélia Lemos (PP-RS), vice-presidente da FPA, no Senado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *