FPA repudia ações violentas do MST no oeste paranaense



O deputado Evandro Roman (PSD-PR), em nome da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), repudia com veemência ações criminosas realizadas nos últimos dias por integrantes do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) na região de Quedas do Iguaçu, no oeste do Paraná. Na madrugada de terça-feira (08/03), um grupo do MST invadiu um viveiro da empresa de reflorestamento Araupel e destruiu 1,2 milhão de mudas de pinus preparados para o plantio. O prejuízo é calculado pela empresa em R$ 5 milhões.

No início da quarta-feira, integrantes do sem-terra bloquearam a rodovia PR-473, que liga Quedas do Iguaçu a São Jorge D’Oeste. De acordo com a Polícia Rodoviária Estadual, os manifestantes usaram árvores para bloquear o trânsito. O ponto bloqueado foi no KM 54, local conhecido como Projeto 4.  A rodovia foi liberada no final da manhã, de acordo com a Polícia Rodoviária Federal.

Na quarta-feira à tarde, dois jornalistas da TV Tarobá foram feitos reféns pelos membros do MST em Quedas do Iguaçu. A equipe de reportagem se aproximava do local para registrar os acontecimentos, e inclusive ouvir os representantes do MST, quando cerca de 50 militantes, com escopetas, facões e pedras, se aproximaram do carro da emissora. Os dois foram levados a um acampamento e sofreram ameaças de agressões físicas.

O presidente da FPA, deputado Marcos Montes (PSD-MG), lamenta as ações do MST que, segundo ele, revelam o espírito antidemocrático que norteia a entidade. “Movimentos como esse, que se insurgem contra a ordem estabelecida e o direito à propriedade, além de serem ilegais, ocorrem num momento conturbado para o país e que só contribuem para a criação de um ambiente caótico e violento”, afirmou Montes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *