CPI dos Maus-tratos: FPA evita mudanças que afetariam agronegócio



A ação de deputados da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) foi decisiva na retirada de pontos que afetariam o agronegócio no relatório final da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) dos Maus-tratos aos Animais. Foi suprimida a parte que tratava do abate humanitário de animais e do abate de jumentos.

Destaque apresentado pelo deputado Newton Cardoso Jr (PMDB-MG), integrante da FPA, pediu a retirada dos trechos sob a alegação de que já existe uma norma do Ministério da Agricultura (Instrução Normativa 3/2000) com regras para o abate humanitário.

Além de Cardoso Jr, a atuação dos deputados Marcos Montes (PSD-MG), presidente da FPA, Adilton Sachetti (PSB-MT), Valdir Colatto (PMDB-SC), Tereza Cristina (PSB-MS), Geraldo Resende (PMDB-MS) e Giovani Cherini (PDT-RS) também evitou mudanças na inspeção de produtos de origem animal.

O projeto que pretende banir eventos que tenham perseguição e derrubada de animais ainda está em tramitação e aguarda votação na Comissão de Meio Ambiente. O deputado Sachetti defendeu a manutenção de rodeios e vaquejadas. “Se proibirmos isso, vamos tirar a alma do interior”, avaliou. Cherini disse que a comissão se fixou demais no tema e afirmou que o relatório atacava os organizadores dessas atividades.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *