Agricultura pede nova fonte de financiamento



A mi­nis­tra da Agri­cul­tu­ra, Ká­tia Abreu, se reu­niu on­tem (1º/10) com o pre­si­den­te do Ban­co Cen­tral, Ale­xan­dre Tom­bi­ni, pa­ra dis­cu­tir a pos­si­bi­li­da­de de emis­são do Cer­ti­fi­ca­do de Re­ce­bí­veis do Agro­ne­gó­cio (CRA) in­de­xa­do ao dó­lar. A me­di­da, que tem ob­je­ti­vo de ofe­re­cer uma op­ção a mais de fi­nan­ci­a­men­to pa­ra o agro­ne­gó­cio, po­de atrair até US$ 20 bi­lhões pa­ra o Bra­sil, de acor­do com es­ti­ma­ti­vas de in­te­gran­tes do go­ver­no e de par­la­men­ta­res.

An­tes des­se en­con­tro, mem­bros da Fren­te Par­la­men­tar da Agro­pe­cuá­ria (FPA) já ha­vi­am se reu­ni­do com o Ban­co Cen­tral pa­ra apre­sen­tar a pro­pos­ta e saí­ram de lá com a pro­mes­sa de que um es­tu­do se­ria fei­to. Fon­tes ou­vi­das pe­lo Bro­ad­cast, ser­vi­ço em tem­po re­al da Agên­cia Es­ta­do, di­zem que es­sa mu­dan­ça es­tá em es­tu­do no BC e que a ins­ti­tui­ção até já fez al­guns con­ta­tos com a Co­mis­são de Va­lo­res Mo­bi­liá­ri­os (CVM) pa­ra en­ten­der as im­pli­ca­ções le­gais des­sa in­de­xa­ção.

Re­cur­sos. O se­tor agro­pe­cuá­rio, ape­sar de ser o úni­co a cres­cer no País, en­fren­ta di­fi­cul­da­des de ob­ter re­cur­sos pa­ra fi­nan­ci­a­men­to. Os de­pó­si­tos à vis­ta e os re­cur­sos da pou­pan­ça ru­ral, as prin­ci­pais fon­tes do cré­di­to ru­ral com ju­ros con­tro­la­dos, es­tão em que­da.

No pri­mei­ro se­mes­tre, a di­mi­nui­ção des­se fun­ding tor­nou es­cas­sos os re­cur­sos que eram usa­dos pa­ra o pré-cus­teio, tra­di­ci­o­nal­men­te usa­dos pa­ra pre­pa­rar uma no­va sa­fra. A fal­ta de re­cur­sos tam­bém fez o go­ver­no re­du­zir o vo­lu­me de cré­di­to a ju­ros con­tro­la­dos e ele­var o mon­tan­te com ta­xas li­vres.

A ques­tão ain­da não es­tá fe­cha­da e no­vos en­con­tros de­vem ocor­rer. Além da mi­nis­tra, Tom­bi­ni re­ce­beu dois re­pre­sen­tan­tes da FPA, o de­pu­ta­do fe­de­ral Luis Car­los Hein­ze (PP-RS) e a de­pu­ta­da fe­de­ral Te­re­za Cris­ti­na (PSB-MS).

Fonte: Estadão

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *