Câmara debate vazamento de lista suja do trabalho escravo



Membro da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), o deputado César Halum (PRB-TO) pediu a realização da audiência pública para que o Ministério do Trabalho e Emprego esclareça como essas informações sobre processos administrativos transitados em jugado se tornaram públicas, já que, em dezembro do ano passado, o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, concedeu liminar, atendendo pedido da Associação Brasileira de Incorporadoras Imobiliárias (Abrainc), para que o governo parasse de divulgar essa relação.

A decisão suspendeu os efeitos da portaria interministerial número 2 de maio de 2011, do Ministério do Trabalho e da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, que estabelece as regras sobre o cadastro.

“Visto que as informações são alvo de uma ADI [ação direta de inconstitucionalidade] e ato suspensivo, é de extrema importância que as circunstâncias e motivos de seu vazamento sejam esclarecidos à sociedade, uma vez que o STF se manifestou pela sua inconstitucionalidade devido à usurpação de competência do Poder Legislativo”, ressalta Halum.

O chefe da Divisão de Erradicação do Trabalho Escravo do Ministério do Trabalho e Emprego, Alexandre Lyra, participará da reunião para prestar os esclarecimentos.

A audiência está marcada para o plenário 6.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *