Exército de Stédile promove “ocupações” nas cercanias de Brasília



Produtores rurais visitaram hoje (16) a Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) para pedir apoio aos deputados e senadores do colegiado contra as reiteradas “ocupações” de integrantes da Frente Nacional de Luta Campo e Cidade (FNL) nas cercanias de Brasília. Abrigados no “Movimento dos Agricultores Unidos”, os agricultores entregaram aos membros da FPA um documento com a cronologia das invasões em propriedades produtivas nos municípios de São João da Aliança, Água Fria de Goiás, Alto Paraíso, Niquelândia e Planaltina de Goiás.

Os produtores denunciaram que os ativistas estão na região ameaçando novas invasões e promovendo encontros para arregimentar novos adeptos, inclusive, com a presença do seu líder nacional José Rainha. Liderada pelo seu líder local, Hugo Maciel Zaidan, a FNL está cobrando taxa mensal dos invasores para permanecerem nos acampamentos. Eles relataram que foi promovida uma passeata na cidade de São João da Aliança “para conscientizar a população do grave momento em que vivem e buscar apoio sobre como proceder dentro da lei”.

Os proprietários rurais informaram que as fazendas invadidas produziam soja, milho, feijão, trigo, hortifrutigranjeiros e agropecuária, gerando empregos diretos de 2.076 famílias, indiretos 6.304 famílias e valor bruto da produção de R$ 631,7 milhões. As áreas plantadas naqueles municípios com grãos ocupam cerca de 160 mil hectares e a pecuária 250 mil. O movimento que no início, em dezembro de 2014, era formado por 250 famílias, passou a ter este mês aproximadamente 1.500 famílias de invasores, ou “soldados de Exército de Stédile”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *