Marcos Montes reivindica acesso de pequenos e médios produtores ao melhoramento genético



O presidente da FPA lembra que programa com este objetivo já funciona com sucesso em Minas Gerais desde 2007

Com o objetivo de possibilitar que os pequenos e médios produtores brasileiros tenham a  oportunidade de melhorar seus rebanhos, o presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), vice-líder da bancada do PSD na Câmara, deputado federal mineiro Marcos Montes, quer que o governo federal implante o Programa Nacional de Melhoria da Qualidade Genética dos Rebanhos Bovino, Bubalino, Caprino e Ovino.

“O Pró Genética é promovido com sucesso pelo governo de Minas Gerais desde 2007” – afirma.

Requerimento foi apresentado ao presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), com pedido para que ele encaminhe a indicação ao Executivo.

Em sua justificativa – dirigida aos ministros Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) e Patrus Ananias (Desenvolvimento Agrário), o deputado diz que a qualidade genética, a sanidade e a nutrição dos plantéis de bovinos, bubalinos, caprinos e ovinos são os pilares do bom desempenho zootécnico e econômico da pecuária nacional.

AVANÇOS – “Nas últimas décadas verificaram-se notórios avanços nesses pilares das cadeias produtivas de ruminantes que constituem nossa pujante pecuária: os pecuaristas mais tecnificados investiram em melhoramento genético e formaram rebanhos com alto potencial produtivo; os governos federal e estaduais implantaram sistemas mais eficazes de prevenção sanitária e controle das principais enfermidades que acometem os animais; e os criadores se conscientizaram da necessidade de produção de alimentos de qualidade e de adequada nutrição de seus animais” – ressalta Marcos Montes.

Todavia – de acordo com ele -, percebe-se que expressivo número de pequenos pecuaristas ainda possui rebanhos que apresentam baixo potencial produtivo, em virtude da dificuldade de acesso a reprodutores geneticamente superiores.

“Especialistas reconhecem que a deficiente qualidade genética dos reprodutores é a principal causa da reduzida produção de carne e leite dos plantéis desse segmento de produtores” – argumenta.

MINEIRAMENTE – O presidente da FPA lembra que, para superar essa deficiência no sistema produtivo de Minas Gerais, o governo estadual instituiu o Programa de Melhoria da Qualidade Genética do Rebanho Bovino — Pró-Genética, que vem sendo implementado com grande sucesso pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento e suas entidades vinculadas, em parceria com entidades privadas, tais como a Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) e a Associação Brasileira dos Criadores de Girolando (Girolando).

Marcos Montes observa que o objetivo do programa é viabilizar a aquisição, pelos pequenos e médios pecuaristas, de reprodutores com registro genealógico e capacidade reprodutiva comprovada em exame andrológico, além de avaliação genética positiva, para carne ou para leite, conforme o caso, o que lhes permite serem classificados como touros melhoradores.

“A estratégia empregada no programa mineiro é a de conciliar a demanda dos pequenos criadores por reprodutores de qualidade genética superior — dimensionada por meio de levantamento realizado pela Emater-MG, com o apoio de cooperativas, sindicatos, associações e prefeituras — com a oferta de tourinhos registrados de pecuaristas associados às associações de criadores de raças especializadas, tais como a ABCZ e a Girolando” – explica.

As aquisições dos tourinhos – segundo Marcos Montes -, são concretizadas em feiras regionais organizadas com este propósito — onde o comprador pode obter financiamento bancário e outras facilidades — ou ainda por meio do Banco de Ofertas de Reprodutores das referidas associações.

IMPACTO – Para ressaltar a relevância do Pró-Genética para Minas Gerais, dados de 2006 indicavam que, dos cerca de 350 mil bovinocultores existentes no Estado, cerca de 280 mil são de pequenos e médios, sendo que 80% destes utilizavam reprodutores sem procedência.

Para viabilizar financeiramente as aquisições de reprodutores registrados pelos pecuaristas de menor poder aquisitivo – sugere Marcos Montes -, poder-se-ia estruturar o programa de modo a que ao produtor comprador de touros de qualidade superior seria permitido a entrega de animais de sua propriedade, como forma de amortização de parte dos custos.

O PRÓ GENÉTICA – O Programa de Melhoria da Qualidade Genética do Rebanho Bovino de Minas Gerais — Pró-Genética — foi instituído em Minas Gerais por meio do Decreto nº 4.461, de 2007, e conta com recursos financeiros consignados em dotações orçamentárias do Estado, ou provenientes de outros créditos internos ou externos, ou ainda de parcerias entre o Estado de Minas Gerais e o setor privado.

“Considerando-se o caráter nacional do programa a ser capitaneado pelo Ministérios da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e do Desenvolvimento Agrário, creio ser importante implantar, em âmbito federal, programa semelhante ao de Minas Gerais, ampliando sua abrangência aos criadores das espécies bubalina, caprina e ovina, especializadas na produção de leite, carne e lã” – reflete Marcos Montes.

“Tendo em vista que a pecuária bovina é a única atividade presente em todos os municípios brasileiros, o que demonstra sua importância cultural, histórica, econômica e social, peço a Vossas Excelências especial atenção às sugestões apresentadas” – conclui o deputado em seu requerimento dirigido a Kátia Abreu e Patrus Ananias.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *