Economista Mailson da Nóbrega faz um panorama da economia brasileira



“A situação da economia brasileira vai piorar antes de melhorar”, afirmou o economista e ex-ministro da Fazenda da década de 90, Mailson Ferreira da Nóbrega, na palestra realizada na noite de quinta-feira (23/04) durante o Seminário Internacional da Integração do Agronegócio com o Sistema Judicial. O evento é promovido pela Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato) e o Tribunal de Justiça (TJ-MT) e segue até sábado (24/04), no hotel Gran Odara, em Cuiabá.

Segundo o economista as projeções para o ano de 2015 não são muito animadoras. “O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) será em torno de 1%, depois de ter caído 1,4%. A taxa de desemprego ficará em torno de 6,3%, a taxa de juros será alta, em torno de 13,5%, e a renda vai cair. Não há como fugir disso”, pontuou Nóbrega.

Para ele, o quadro pode piorar ainda mais com os desdobramentos da operação Lava-Jato, que investiga denúncias de corrupção na Petrobras, e com o risco de racionamento de energia. “Os cálculos dos especialistas são: se houver restrição de 10% na oferta de energia, haverá um impacto de 0,8% no PIB”, explicou o economista.

Apesar das perspectivas negativas, Nóbrega acredita que o pessimismo que ronda a economia brasileira é um pouco exagerado. “Não há nenhuma razão para pensar que o Brasil pode virar uma Rússia, uma Venezuela, uma Argentina”, acrescentou.

O economista acredita que o Brasil tem futuro e, para isso, precisa vencer alguns desafios. Dentre eles estão a criação de um serviço público profissional e o investimento em educação de qualidade. “Temos em nosso país mais de 60 mil cargos públicos ocupados por indicações políticas, enquanto na Inglaterra esse número é de pouco mais de 100. Enquanto não tivermos um serviço público ocupado por profissionais, não vamos crescer”, disse.

Na opinião do economista, o agronegócio tem papel fundamental na recuperação da economia brasileira. “Este é o único setor que está tendo ganho de produtividade no Brasil. Sem o agronegócio, o país estaria em uma crise gigantesca e teria déficit comercial insustentável. Com certeza, o agronegócio é um dos únicos pilares sustentáveis da economia brasileira”.

Seminário – O objetivo do Seminário Internacional da Integração do Agronegócio com o Sistema Judicial, realizado pela Famato e o TJ-MT, é debater os desafios do agronegócio no mundo globalizado. Na programação estão cinco palestrantes internacionais, dois ministros do Superior Tribunal de Justiça (STJ), um ministro do Tribunal Superior do Trabalho (TST), economistas e especialistas do agronegócio que irão destacar os temas: perspectivas da economia brasileira; o cenário agro mundial; políticas agrícolas; legislação ambiental; negócios jurídicos e o direito aplicado ao agronegócio.

O evento tem o patrocínio do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (Senar-MT), Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja), Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa), Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat) e Associação dos Produtores de Sementes de Mato Grosso (Aprosmat).

Fonte: FAMATO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *