Quartiero participa de encontro para desenvolvimento da agricultura



O vice-governador do Estado, Paulo César Quartiero (DEM), afirmou estar articulando com parlamentares no Congresso Federal um grupo de apoio para desenvolver o setor agrícola do Estado. Em entrevista concedida na manhã de ontem, 8, ao programa Agenda da Semana, da Rádio Folha AM 1020, apresentado por Marcelo Nunes, Quartiero revelou estar trabalhando para a consolidação estadual no ramo com apoio da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), da qual ele é membro-colaborador.

Quartiero disse que a medida foi necessária porque Roraima está sem nenhuma representação parlamentar forte na FPA. “Por este motivo fui à Brasília e pedi para que a Frente foque em Roraima. Queremos que eles nos ajudem a ser um estado produtivo, para acusarmos um bem-estar e um desenvolvimento do Estado”, afirmou.

Ele explicou ainda, que conseguiu apoio para o desenvolvimento do Programa de Produção e Fortalecimento da Produção Intensiva e Grãos e Pecuária Bovina no Cerrado de Roraima. “O Estado contém quatro milhões de hectares de cerrado válidos para produção. Queremos, com o plano, produzir nos próximos quatro anos até 100 hectares de grãos e pastagem”, disse.

“Acreditamos que esse é um número mágico. Com isso, Roraima e os produtores daqui terão escala suficiente para consolidar a matriz de desenvolvimento do Estado. Assim começaremos a andar com as próprias pernas”, acrescentou. Atualmente o Estado contém aproximadamente 21 mil hectares de produção agrícola.

Conforme Quartiero, o principal entrave para a instalação do programa é a falta de interesse dos políticos locais em desenvolver o Estado. “Precisamos de apoio político para neutralizar a política indigenista que tanto atrasa o desenvolvimento da Amazônia brasileira, especialmente o estado de Roraima. Como nossos próprios políticos estão envolvidos até o pescoço com as ONGs que pretendem atrasar nosso desenvolvimento, fui pedir apoio daqueles que trabalham para isso”, disse.

Ele explicou que Roraima tem todas as condições para desenvolver o segmento e se postar no mercado internacional como estado produtor de grãos. “Temos um solo produtivo, clima confiável, produtores, tecnologia nossa e mercado. Por isso não vamos desistir, nós vamos atrás de quem for para alcançarmos nossos objetivos”, revelou.

Fonte: Folha BV

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *