O agronegócio é o caminho da salvação do Brasil, diz Marcos Montes durante posse na FPA



10393952_288247644632956_2646456999385117164_n
Mesa diretora toma posse para o biênio 2015/2016

 

“O Brasil somente sonhará ser um grande País se forem valorizados e receberem a merecida atenção os agricultores brasileiros. Não tenho dúvidas em dizer aqui que o agronegócio é o caminho da salvação do Brasil. Também não me acanho em dizer que nunca se viveu tanto pessimismo como se vive agora”. A declaração é do deputado federal Marcos Montes (PSD-MG) que na noite desta terça-feira (24) tomou posse na presidência da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), uma das mais organizadas e combativas no Congresso Nacional, formada por mais de 200 parlamentares.

Marcos Montes foi empossado para o biênio 2015/16 numa concorrida cerimônia que contou com a presença do governador do Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja, do ex-governador mineiro, senador Antônio Anastasia, e dos ministros da Agricultura, Kátia Abreu; das Cidades, Gilberto Kassab; das Relações Institucionais, Pepe Vargas; e da Ciência e Tecnologia, Aldo Rabelo. Também estiveram presentes três ex-ministros de Estado – Alysson Paolinelli, Neri Geller (Agricultura) e Odacir Klein (Transportes). Dezenas de deputados, senadores e presidentes de entidades representativas do agronegócio compareceram ao evento, além de prefeitos e vereadores.

“Lamentavelmente, fora da porteira o produtor rural ainda enfrenta desafios, e este país só será realmente grande quando houver reconhecimento e fortalecimento do setor, principalmente por parte do governo federal” – criticou ele, em seu discurso de posse, momento de muitos aplausos. O deputado Montes reforçou que a FPA é uma entidade suprapartidária, cujo objetivo é trabalhar na defesa dos produtores rurais – dos menores aos maiores, estejam onde estiverem eles. E voltou a defender o fortalecimento do Ministério da Agricultura, “pois queremos um ministério que tenha o mesmo status dos ministérios da Fazenda e do Planejamento”.

A ministra da Agricultura,  Kátia Abreu, que já foi presidente da FPA,  reagiu em seu discurso, reforçando seu compromisso com a agropecuária e com a valorização do setor. O ministro Aldo Rebelo também foi um dos oradores do evento. Em seu discurso, ele que foi relator do Código Florestal Brasileiro, discorreu sobre a sua experiência e seu envolvimento com os produtores rurais nas mais de 50 audiências públicas realizadas em todas as regiões produtoras, quando se discutia uma nova legislação ambiental. Ele criticou as ongs que, financiadas pelos concorrentes do Brasil, promovem campanhas contra o agronegócio brasileiro.

Nova FPA – A direção da FPA ficou assim constituída: Presidente: Marcos Montes (PSD-MG); Vice-presidente no Senado, Ana Amélia; Vice-presidente na Câmara, Nilson Leitão (PSDB-MT); Vice-Presidente para a Região Norte, César Halum (PRB-TO); Vice-Presidente do Centro-Oeste, Tereza Cristina (PSB-MS); Vice-Presidente do Nordeste, Raimundo Gomes de Matos; Vice-Presidente Sudeste, Evair de Melo (PV-ES); Vice-Presidente Sul, Alceu Moreira (PMDB-RS) e Secretário, Josué Bergston (PTB-PA).

Para coordenadores foram indicados os seguintes parlamentares:  Coordenador Institucional, Jerônimo Goergen (PP-RS); Coordenador Político no Senado, Waldemir Moka (PMDB-MS); Coordenador Político na Câmara, Giacobo (PR-PR) e Coordenador Jurídico, Osmar Serraglio (PMDB-PR). A diretoria da FPA é formada ainda por coordenadorias de comissões de  áreas específicas: Coordenação da Comissão de Meio Ambiente, Giovani Cherini (PDT-RS), Comissão de Direito de Propriedade, Valdir Colatto (PMDB-SC); Comissão de Política Agrícola, Roberto Balestra (PP-GO); Comissão de Defesa Agropecuária, Onix Lorenzoni (DEM-RS); Comissão de Infraestrutura, Adilton Sachetti (PSB-MT) e Coordenação da Comissão Trabalhista, Nelson Marquezelli (PTB-SP).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *