FPA entra em campo para apoiar Eduardo Cunha



A direção da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) enviou nesta quinta-feira a todos os seus membros – cerca de 200 deputados – uma carta pedindo que votem em Eduardo Cunha para a presidente da Câmara Federal. “Estamos confiantes de que eleito Eduardo Cunha reconhecerá o nosso peso e abraçará as nossas causas”, destaca um dos trechos da mensagem, assinada pelo atual presidente da FPA Luís Carlos Heinze e o presidente eleito Marcos Montes, cuja posse está marcada para 24 de fevereiro vindouro.

A seguir, a íntegra da carta da FPA:

Nobres deputados da FPA,

A união faz a força. Inspirados neste lema, que expressa uma verdade, dirigimo-nos a todos os membros da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA) – considerada uma das mais atuantes no Congresso Nacional – para fazer o seguinte pedido: votar no combativo líder deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), nosso candidato à Presidência da Câmara Federal. Além de Eduardo Cunha, dois outros nomes também concorrem ao cargo. São eles Júlio Delgado (PSB-MG) e Arlindo Chinaglia (PT-SP), que se lançou por último, mas tendo iniciado recentemente conversações com o nosso grupo.

Como é do conhecimento de todos, no próximo dia 1º de fevereiro, seremos convocados a eleger a nova Mesa Diretora desta Casa para o biênio 2015/2016. E foi neste sentido que fomos procurados pelos pretendentes Eduardo Cunha e Júlio Delgado. Cada um deles, em concorridas reuniões separadas, apresentaram-nos suas propostas e plano de trabalho, que foram transparente e democraticamente avaliadas e debatidas, ambos mostrando-se dispostos a protagonizar a altivez da Câmara em relação ao Executivo, pretensão compartilhada pela maioria dos parlamentares.

Com cada um deles debatemos as nossas demandas, que não são poucas, mas todas de interesse do setor produtivo rural, sem dúvida o mais pujante de nossa economia, responsável por cerca 24% do nosso PIB, 37% dos empregos e cerca de 40% das nossas exportações. Mesmo apresentando números tão positivos, o agronegócio brasileiro não tem merecido do governo federal o tratamento que dele se esperava, considerando que neste segmento o Brasil  colhe as melhores notícias. Vez por outra somos surpreendidos com improvisadas medidas que nos deixam indignados.

É conveniente dizer que, sob o abrigo da FPA, somos, sim, militantes, vigilantes e ativistas da segurança jurídica no campo para inibir as ações dos predadores internos do agronegócio e dos concorrentes externos que, mesmo adubados com altos subsídios nos países de origem, ainda assim temem a eficiência dos nossos produtores rurais, internacionalmente reconhecidos como um dos mais competitivos do mundo. É público e notório o assanhamento perverso a nos atormentar de certas ONGs, financiadas pelos concorrentes incomodados com os recordes de nossa produção agrícola, produtividade e sustentabilidade.

Saibam que à frente desta entidade – a FPA -, temos nos esforçado em combater o bom combate, sempre em prol do fortalecimento do setor rural e valorização do homem do campo e das entidades que os representam. Não é de hoje que enfrentamos os desafios com destemor. Foi assim na aprovação do Código Florestal, na revisão dos índices de produtividade, no emplacamento de máquinas agrícolas etc. E será assim na demarcação de terras indígenas, no projeto de acesso aos recursos genéticos, trabalho escravo, na legislação sobre agroquímicos, na lei trabalhista específica para o trabalhador rural, entre outros temas.

Eduardo Cunha sinalizou que as nossas bandeiras serão por ele também conduzidas, a exemplo do que fez o presidente Henrique Eduardo Alves, a quem emprestamos apoio dois anos atrás para comandar esta Casa. Aliás, Alves reconheceu (é bom que se diga) que sua vitória se deveu aos decisivos votos da conhecida, atuante e suprapartidária bancada ruralista. Estamos confiantes de que eleito Eduardo Cunha reconhecerá o nosso peso e abraçará as nossas causas. Este é o nosso desejo. Por isso mesmo é que estamos recomendando nele votar, unidos, eis que nenhum de nós é tão forte quanto todos nós juntos.

Luis Carlos Heinze (PP-RS) – Presidente da FPA

Marcos Montes (PSD-MG) – Presidente eleito da FPA

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *